menu
18 de Julho de 2024
facebook instagram whatsapp
lupa
menu
18 de Julho de 2024
facebook instagram whatsapp
lupa
fechar

GERAL Sexta-feira, 14 de Junho de 2024, 15:09 - A | A

Sexta-feira, 14 de Junho de 2024, 15h:09 - A | A

CHACINA EM 2023

Pai e avó buscam justiça e pedem indenização de R$ 40 milhões do Estado de MT por chacina em Sorriso

Os trágicos eventos ocorreram em 24 de novembro de 2023, dentro da residência da família, no município de Sorriso, situado a 420 km de Cuiabá

 

O viúvo Regivaldo Batista Cardoso e sua sogra, Soeli Fava Calci, iniciaram um processo judicial exigindo uma indenização de R$ 40 milhões do Estado de Mato Grosso, em decorrência da brutal chacina que ceifou a vida de Cleci Calvi Cardoso, esposa de Regivaldo, e filha de Soeli, juntamente com as filhas do casal Miliane, Manuela e Melissa Calvi Cardoso.

 

Os trágicos eventos ocorreram em 24 de novembro de 2023, dentro da residência da família, no município de Sorriso, situado a 420 km de Cuiabá.

 

O assassino, identificado como Gilberto Rodrigues dos Anjos, um foragido da Justiça com histórico de outros crimes, confessou ter perpetrado os homicídios.

 

Segundo relatos, Gilberto, que trabalhava como pedreiro em uma obra próxima à casa da família, observou a rotina de suas vítimas antes de invadir o local pela janela do banheiro.

 

As investigações revelaram um cenário de horror, com as vítimas encontradas sem vida, apresentando sinais de abuso sexual e ferimentos causados por faca no pescoço, distribuídas pelo quarto e corredor da residência.

 

A defesa da família argumenta negligência e omissão por parte do Estado, exigindo que este seja responsabilizado para evitar que tragédias similares ocorram no futuro.

 

O advogado Conrado Pavelski ressaltou em uma nota pública que "nenhum valor será capaz de trazer Cleci, Miliane, Manuela e Melissa de volta à vida", mas que é necessário responsabilizar o Estado para prevenir futuros atos negligentes e omissos.

 

Além do pedido de indenização, o Ministério Público do Estado (MPMT) imputou ao criminoso diversas qualificadoras, incluindo feminicídio, dado o menosprezo e discriminação à condição de mulher das vítimas, além de crueldade e agravantes por cometer os crimes na presença física de ascendente e descendente das vítimas.

 

Gilberto aguarda julgamento pelo brutal crime no Tribunal do Júri, cuja data ainda não foi definida

 

> Click aqui e receba notícias em primeira mão.


Comente esta notícia

ALAN 14/06/2024

Este tipo de ser merece sumir lentamente, por meses.... MESES!

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1