menu
18 de Julho de 2024
facebook instagram whatsapp
lupa
menu
18 de Julho de 2024
facebook instagram whatsapp
lupa
fechar

BRASIL Terça-feira, 09 de Julho de 2024, 10:09 - A | A

Terça-feira, 09 de Julho de 2024, 10h:09 - A | A

MAUS-TRATOS

Professora cola boca de aluno e escola se pronuncia sobre o caso

A criança teve suas mãos e possivelmente a boca seladas com fita adesiva por uma professora.

TBN

 

Recentemente, um caso perturbador veio à tona envolvendo uma escola infantil no tranquilo arquipélago de Fernando de Noronha, Pernambuco. Funcionários de uma escola, destinada aos primeiros anos de educação, foram afastados após alegações de maus-tratos.

O Centro Integrado de Educação Infantil Bem-Me-Quer foi palco de uma situação alarmante, que envolve uma criança de apenas 4 anos e alguns membros do corpo docente da instituição. De acordo com relatos, a criança teve suas mãos e possivelmente a boca seladas com fita adesiva por uma professora.

Como a denúncia veio à tona?

A família da criança tomou conhecimento do incidente quando o pequeno relatou o ocorrido. Imediatamente, os familiares procuraram a direção da escola e exigiram ações. A resposta da escola foi rápida, prometendo apuração e justiça.

Maus-tratos na Educação Infantil: Qual o impacto?

A situação trouxe à luz a importância da vigilância constante nos ambientes educacionais, destacando como as crianças pequenas são vulneráveis. Os primeiros anos de educação são fundamentais para o desenvolvimento emocional e social de uma criança, e incidentes como esse podem deixar marcas profundas e duradouras.

A resposta da instituição e as medidas tomadas

Diante da gravidade do relato, a direção do Centro Integrado de Educação Infantil Bem-Me-Quer tomou várias decisões importantes. O primeiro passo foi o afastamento imediato da professora e das assistentes envolvidas, que segundo relatos, presenciaram o ato e não intervieram. Além disso, foi instaurado um Processo Administrativo Específico (PAE) para investigar o caso mais a fundo.

  • Exame do incidente e consultas com psicólogos para a criança.
  • Orientação e treinamento adicional para todos os funcionários sobre como lidar com crianças.
  • Revisão das políticas de vigilância e segurança dentro da instituição.
 
 
 
 

> Click aqui e receba notícias em primeira mão.


Comente esta notícia