menu
18 de Julho de 2024
facebook instagram whatsapp
lupa
menu
18 de Julho de 2024
facebook instagram whatsapp
lupa
fechar

BRASIL Terça-feira, 09 de Julho de 2024, 16:13 - A | A

Terça-feira, 09 de Julho de 2024, 16h:13 - A | A

EVENTO CONSERVADOR

Críticas a Lula, STF e Defesa dos Presos do 8 de Janeiro, marcam o CPAC

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) abriu a conferência destacando a importância de resistir à censura e reforçando a crença de que a direita retornará ao poder.

 

No último fim de semana, Balneário Camboriú (SC) foi palco da Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), onde a cúpula da direita se reuniu para discutir diversas pautas conservadoras. O evento, que começou no sábado (6/7), teve discursos contundentes contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Supremo Tribunal Federal (STF), e em defesa dos presos relacionados aos eventos de 8 de janeiro.

Abertura e Principais Discursos

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) abriu a conferência destacando a importância de resistir à censura e reforçando a crença de que a direita retornará ao poder. “Bom que vocês vieram e não se dobram à censura. Mostram que vocês não têm medo dos que querem nos calar. Esse encontro será um divisor de águas. Vamos voltar para casa e fazer reverberar essa onda porque nós voltaremos ao poder. Não parar, não precipitar e não retroceder”, afirmou Eduardo, destacando a resiliência dos apoiadores presentes.

A primeira-dama Michelle Bolsonaro também subiu ao palco, prometendo um grande número de vereadoras e prefeitas nas próximas eleições e defendendo seu marido contra acusações de misoginia. Ela argumentou que Jair Bolsonaro sancionou muitos projetos em defesa das mulheres, enfatizando a formação de novas lideranças conservadoras e criticando a administração do governo atual, chamando-a de "mal administrada".

Participação Internacional e Pautas Conservadoras

Entre os convidados internacionais, o presidente argentino Javier Milei e diversos jornalistas argentinos marcaram presença. Eles criticaram Lula e manifestaram a opinião de que Milei não deveria se reunir com o presidente brasileiro. Essa posição foi refletida em comentários contundentes, como o de um jornalista que afirmou: “Milei não tem que se reunir mesmo com esse delinquente, corrupto e comunista”.

A deputada Bia Kicis (PL-DF) também fez um discurso em defesa dos “presos políticos” do 8 de janeiro, termo usado por bolsonaristas para se referir aos condenados pelos ataques às sedes do STF, Palácio do Planalto e Congresso Nacional. Ela criticou a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e defendeu eleições diretas dentro da organização. “Uma salva de palmas para os advogados que têm a coragem de defender nossos perseguidos políticos do 8 de janeiro”, disse Kicis, reforçando seu apoio aos advogados que defendem os envolvidos.

Conferência e Público

O evento, que reuniu cerca de 3.500 participantes segundo Eduardo Bolsonaro, destacou-se pela presença de figuras proeminentes do movimento conservador. O ex-ministro Onyx Lorenzoni atuou como mestre de cerimônias, exaltando a coragem de Bolsonaro e Michelle, e incentivando a plateia a continuar militando pela direita. “O Brasil verde e amarelo irá voltar”, declarou Lorenzoni, ecoando o sentimento de muitos participantes.

 

> Click aqui e receba notícias em primeira mão.


Comente esta notícia