Coronel confessa plano para afastar desembargador de investigação dos grampos

Coronel confessa plano para afastar desembargador de investigação dos grampos

- em Política
Comentários desativados em Coronel confessa plano para afastar desembargador de investigação dos grampos
ReproduçãoReprodução

Em depoimento para os delegados Ana Cristina Feldner e Flávio Stringueta, o ex-chefe da Casa Militar de Mato Grosso, coronel Evandro Lesco confessou participação no plano para tentar afastar o desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), das investigações sobre os grampos ilegais. A confissão foi confirmado pelo advogado de defesa do militar,  Stalyn Paniago, que declarou que o coronel assumiu a responsabilidade sobre o que sabia sobre o esquema criminoso.

Lesco e sua mulher, a personal trainer Helen Christy Lesco, foram ouvidos nesta terça-feira. O casal foi preso no último dia 27 na Operação Esdras, deflagrada pela Polícia Civil. O coronel está preso no 3º Batalhão da Polícia Militar e Helen, na Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, ambos em Cuiabá. Eles foram presos durante a Operação Esdras, da Polícia Civil.

No primeiro depoimento, Lesco e sua mulher ficaram em silêncio. No entanto, repensaram a estratégia de defesa e solicitaram um novo interrogatório.

Além do casal, foram presos na Operação Esdras o ex-secretário de Segurança Pública do Estado, Rogers Jarbas, o ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques, o ex-secretário de Justiça e Direitos Humanos, coronel Airton Siqueira, o major Michel Ferronato, o sargento João Ricardo Soler e o empresário José Marilson da Silva. De todos presos, o único que foi solto foi o empresário José Marilson por contribuir com as investigações.

Facebook Comments

Veja também

Medeiros é eleito o 11º melhor parlamentar do país

O senador José Medeiros (Pode-MT) foi o parlamentar